Quer uma passagem de até US$500 grátis?
Envie sua resposta até 31/07 e tenha a chance de ser premiado.

Estrada Real, Minas Gerais: conheça o caminho e as principais cidades

A Estrada Real, Minas Gerais, é a maior rota de turismo do Brasil. Conheça seus quatro diferentes caminhos e saiba mais sobre as principais cidades do Caminho Velho.

13min

Estrada Real, Minas Gerais

Tive a sorte de conhecer boa parte da Estrada Real, Minas Gerais, enquanto viajava e voluntariava pela Worldpackers, trocando algumas horas de trabalho por acomodação e outros benefícios. Me encantei por diversos destinos dessa famosa rota turística e vim aqui contar mais sobre ela e minha experiência por lá.

O que é a Estrada Real em Minas Gerais?

A Estrada Real, Minas Gerais foi o caminho que servia para escoar as riquezas do Brasil na época da Colônia, e várias cidades se desenvolveram a partir dessas estradas. Atualmente é a maior rota de turismo do Brasil, possuindo 1.630km de extensão em 3 estados brasileiros: Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro

Rica em cultura, a rota preserva muitas igrejas e construções da época de sua criação. O entorno também é vasto em belezas naturais, com muitas cachoeiras e mirantes, proporcionando ao turista visões incríveis.

São quatro os caminhos da Estrada Real, o Caminho dos Diamantes, o Caminho Velho, o Caminho Novo e o Caminho de Sabarabuçu, cada um com sua história. Aqui eu irei deixar um pouco sobre a minha experiência voluntariando em cidades que fazem parte deste roteiro turístico.

Antes de começar uma experiência pela Estrada Real eu recomendo fortemente que você solicite o passaporte da Estrada Real. Isso pode ser feito no site do Instituto Estrada Real. É só selecionar a opção passaporte, preencher o formulário, aguardar o recebimento do e-mail e levar um quilo de alimento não perecível, que será doado para instituições que eles apoiam. 

O passaporte é uma ótima forma de deixar registradas as suas aventuras, já que poderá colecionar os carimbos de cada região visitada.


Passaporte da Estrada Real

O passaporte também está disponível na versão aplicativo. É necessário ter o cadastro do Instituto Estrada Real para poder acessar a sua conta, e para “carimbar” virtualmente é só estar num raio de 10km da cidade. 

No entanto, os carimbos feitos no passaporte físico não aparecem no virtual, então se você fizer o download depois de ter passado por alguma cidade, o carimbo não irá aparecer.

Caminho Velho da Estrada Real, Minas Gerais

O Caminho Velho foi a primeira via aberta oficialmente pela Coroa Portuguesa para ligar o litoral fluminense à região produtora de ouro em Minas Gerais.

No século XVII o percurso levava 60 dias para ser percorrido pelos tropeiros a cavalo, com 710 km. Deste percurso, 320km são subidas e descidas, 11,5% de asfalto, 6% de trilha e 82,5% de estrada de terra. 

Após concluir o Caminho Velho você pode solicitar o Certificado Estrada Real. Para isso, é necessário ter conquistado pelo menos 14 carimbos.

O sentido ideal para quem vai fazer a trilha a pé ou de bicicleta é de Ouro Preto até Paraty, já que terá a altimetria a seu favor. Mesmo assim, existem trechos bem difíceis. O site Instituto Estrada Real tem o mapa para download para quem deseja fazer o trajeto.

Deste caminho eu visitei oito cidades enquanto fazia voluntariado pela Worldpackers: Ouro Preto, Bichinho, Tiradentes, Santa Cruz de Minas, São João Del-Rei, Guaratinguetá, Cunha e Paraty. 

Experimentar esses lugares como voluntária proporcionou uma imersão grande na cultura local, já que tive tempo para visitar pontos turísticos tradicionais e também lugares que só os nativos conhecem.

Cidades que fazem parte da Estrada Real

Ouro Preto 

Minha jornada como turista na Rota do Ouro começou em Ouro Preto, Minas Gerais, que é o ponto inicial do Caminho Velho. Um dos principais locais de exploração de ouro, é uma cidade muito preservada, com construções centenárias.

Ela também é uma das que têm ponto de retirada do Passaporte da Estrada Real: a loja Casa das Latas, que fica na praça Tiradentes, área central da cidade. Lá você também poderá pegar seu primeiro carimbo.

Ouro Preto proporciona uma imersão histórica profunda, já que é a cidade com maior preservação arquitetônica e cultural do Caminho Velho. 

Casarões da época de glória da cidade podem ser vistos em toda a região; a casa de Thomaz Antônio Gonzaga e a Casa dos Contos são destinos que muitos turistas costumam visitar. 

O município preza pela preservação arquitetônica e tem regras muito rígidas para ocupação de casas no centro histórico, o que ajuda a manter características originais do período.


Rua e casas de Ouro Preto

Os aventureiros também podem fazer uma escalada até o Pico do Itacolomi. São vários os guias que fazem o passeio guiado e podem te levar em segurança.

Já pensou em visitar uma mina de ouro? Esta é uma das coisas que você pode fazer na cidade e um dos passeios que gostei. Conheci a Minas do Palácio Velho, que não é muito profunda, mas dá para ficar em pé. O passeio com o guia foi muito agradável e deu para conhecer um pouco da história e de como era a mineração da época. O valor para entrar na mina, na ocasião, foi de R$ 40.


Minas do Palácio Velho em Ouro Preto, Minas Gerais

Quem vai à cidade também poderá visitar as igrejas. A de São Francisco de Assis é uma parada obrigatória e fica de frente para a feira de artesanato de pedra sabão, cartão postal de Ouro Preto. Visitando a igreja você terá acesso ao Museu do Aleijadinho.

Quando estiver por lá você também poderá fazer o passeio da Mina da Passagem, que fica entre Ouro Preto e Mariana. Para chegar lá é só pegar um ônibus intermunicipal. Atente-se que a entrada deste ônibus é pela parte traseira.

A cidade também tem atrativos para quem gosta de belezas naturais: a região possui algumas cachoeiras, fora e dentro do Parque das Andorinhas, que é de uma beleza única! 

Conhecer a Cachoeira das Andorinhas foi uma experiência incrível, já que ela está entre rochas e tem uma queda d'água  impressionante.

Leia também:

Ouro Preto tem uma estação de trem com uma linha ativa até Mariana, que fica a 11km da cidade-irmã. O nome da cidade é em homenagem à rainha Maria Ana D'Áustria, esposa de Dom João V. 

Mariana

Mariana é uma cidade pertencente ao Caminho dos Diamantes, outro percurso da Estrada Real, Minas Gerais. Vale a pena dar uma esticadinha até lá, pois ela tem belas igrejas e é um bom lugar para visitar num bate e volta. A cidade tem seu próprio carimbo, que pode ser obtido no CAT (Centro de Atendimento ao Turista).


Praça das Duas Igrejas de Mariana

Em Mariana eu recomendo fortemente a visita à Igreja Nossa Senhora do Carmo e à Igreja de São Francisco de Assis. O cenário é lindo de ver e fotografar. Elas ficam na praça Minas Gerais, também conhecida como “praça das duas igrejas”, e perto dali ficam o Pelourinho e a Câmara dos Vereadores de Mariana, antiga cadeia da cidade.


Igeja de Mariana, uma das cidades da Estrada Real, Minas Gerais

Tiradentes

Tiradentes tem um charme todo especial. É uma cidade focada no turismo, e por isso motivo concentra vários eventos culturais, gastronômicos e musicais. Ela atrai muita gente de outros estados brasileiros e também estrangeiros para conhecer as suas belezas e igrejas.

O carimbo do Passaporte da Estrada Real em Tiradentes pode ser feito no Centro Cultural Yves Alves, que fica aberto até as 17h.


Igreja de Tiradentes, branca com detalhes amarelos

Para conhecer a cidade é necessário apenas um dia e disposição, já que o centro histórico é bem pequeno e basta uma volta para conhecer tudo. 

Eu fiz uma caminhada passando pelas igrejas São Francisco de Paula, Nossa Senhora das Mercês, Santo Antônio (Matriz) e Santuário da Santíssima Trindade.

Tirei um tempinho para relaxar no chafariz de São José e também fiz um passeio no Museu Padre Toledo (que neste momento passa por uma obra que está revelando antigas pinturas na parede de uma das salas).

Bichinho 

Bichinho é um distrito de Prados, fica a cerca de 7km de Tiradentes e para chegar lá é só pegar um ônibus que sai da rodoviária de Tiradentes. Mas atenção: os ônibus saem às 12h e para voltar até a cidade histórica o ônibus passa apenas às 17h. Confirme os horários quando estiver por lá.

A região é para apreciadores de arte e culinária. São várias lojinhas encantadoras, o local respira arte!


Placa que diz "Bichinho" com um coração no lugar da letra O

Tive o prazer em conhecer a Galeria Luiz Rocha, de um artista que faz releituras de grandes clássicos da arte, como a Santa Ceia.

Na cidade fica também a famosa Casa Torta, ponto muito fotografado por turistas. Para entrar nela é cobrado um ingresso no valor de R$50.

Leia também: O que fazer em Capitólio, um paraíso em Minas Gerais


Fachada da Casa Torta

São João Del-Rei 

Em todos os destinos que visitei na Estrada Real, Minas Gerais até agora, o foco era visitar as igrejas. E em São João Del-Rei não seria diferente: é uma experiência incrível poder assistir uma missa em um lugar tão rico em simbolismos.

Algumas das igrejas da cidade são a de Nossa Senhora do Rosário,  que fica ao lado do Solar dos Neves, antiga residência de Tancredo Neves; a Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar; a Igreja de Nossa Senhora do Carmo, que fica próximo ao Cemitério Coberto; e a Igreja Nossa Senhora das Mercês, que está próxima ao Pelourinho da cidade.

Atravessando a ponte da cadeira é possível chegar também à Igreja de São Francisco de Assis, com seu jardim esplendoroso. Ao fundo da igreja estão os restos mortais do ex-presidente Tancredo Neves e sua esposa Risoleta Neves.


Igreja em São João Del Rei

Na cidade tem um Walking Tour, passeio noturno guiado que passa pelas principais igrejas e pontos turísticos da região. É uma experiência muito interessante para se fazer, pois a cidade muda à noite por causa da iluminação, e aprender sobre uma cidade com tanta riqueza histórica é sempre uma boa ideia.

O carimbo do Caminho Real da cidade é feito próximo à Igreja de São Francisco de Assis. Nas imediações também ficam alguns restaurantes da cidade, um lugar bem legal para passar um tempo.

Fui conhecer também o Museu do Trem, motivada pela curiosidade do meu sobrinho, que é alucinado por esses veículos. No museu é possível ver alguns vagões antigos, trens e também equipamentos para bilhetagem, cofres e ferramentas para manutenção de trilhos. 

A entrada é franca, porém o trem que parte da cidade até Tiradentes custa R$80 ida e volta. O intervalo entre a ida e a volta pode ser de 15 minutos, verifique os horários na bilheteria.

Santa Cruz de Minas

Por estar trilhando o caminho da Estrada Real, Minas Gerais, eu vi que existia um carimbo em Santa Cruz de Minas. Não consegui pegar o de verdade, mas o passaporte virtual foi carimbado com sucesso! 

Este município mais parece um bairro. Ele fica entre São João Del-Rei e Tiradentes, com uma extensão territorial de 2.5km, sendo o menor do Brasil. O comércio local é baseado em móveis e artigos de decoração de ferro, principalmente no atacado.

Uma das coisas que eu fiz neste pequeno município foi registrar a minha entrada e saída dele. E quando eu fiquei sabendo que havia um trecho que daria para fazer em minutos eu tive que ir lá para ver se era verdade, para a minha surpresa eu levei apenas 3 minutos caminhando! Certamente vai ser um lugar que sempre irei mencionar quando for para novos destinos.


totem da Estrada Real

Entre Santa Cruz de Minas e Tiradentes fica a Cachoeira do Bom Despacho, local bem atraente, com um totem da Estrada Real. Uma parada obrigatória para quem está atrás de paisagens encantadoras.

Leia também:

Guaratinguetá 

Esta foi apenas uma cidade de apoio, já que precisei parar para aguardar pelo meu transporte até a cidade vizinha, Cunha. Ambas cidades ficam no estado de São Paulo. Mas mesmo sendo uma rápida parada eu tive a oportunidade de visitar a Paróquia de Santo Antônio, igreja belíssima e onde eu peguei as famosas pílulas de Frei Galvão.


Pílulas de Frei Galvão

Frei Galvão é famoso pelo seu poder de cura, sendo o primeiro santo nascido no Brasil. Suas pílulas são consideradas milagrosas e por isso são bastante procuradas por fiéis.

A cidade é bem movimentada e quente, com uma confusão de gente, e não consegui fazer muito turismo pela região. Fiz uma parada no Kafé Hotel para pegar mais um carimbo da Estrada Real.

Aparecida

A cidade de Aparecida está a cerca de 15 minutos de Guaratinguetá e está marcada como pertencente ao Caminho Velho. 

Teve seu início em meados de 1717, quando chegou a notícia de que o Conde de Assumar, Dom Pedro de Almeida e Portugal, Governador da Província de São Paulo e Minas Gerais, iria passar pela pequena Vila de Guaratinguetá a caminho de Vila Rica (atual cidade de Ouro Preto).

Atualmente peregrinos de todo o Brasil chegam à cidade, em caravanas, para cumprir alguma promessa. Nossa Senhora da Conceição Aparecida é a padroeira do Brasil e por este motivo a região recebe muitos visitantes todos os anos.

Uma das atrações da cidade, a Catedral Basílica Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, é o maior templo católico do Brasil, com 143mil m² de área construída.


Fachada da  Catedral Basílica Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida

Clique para saber onde ficar em Aparecida e fazer um voluntariado.

Cunha

Cunha, em São  Paulo, tem a economia baseada no cultivo da lavanda e nas artes cerâmicas, por isso você encontra várias oficinas na região. Também é referência no cultivo de cogumelos shiitake e shimeji.


Cogumelos

Como está no caminho da Estrada Real, ela preserva a igreja matriz, que passa por uma reforma para retomar as cores originais. 

O Centro Histórico é bem pequeno e modesto em relação às outras cidades que visitei, porém é bastante charmoso e as pessoas são incríveis, muito hospitaleiras. Para atualizar o passaporte, fui até o Cunhatur e aumentei a minha coleção de carimbos. A loja fica ao lado do Mercado Municipal de Cunha.

Fiquei como voluntária num sítio onde são cultivados cogumelos e a aproximadamente 2km de lá fica a cachoeira mais famosa da cidade, a Cachoeira do Pimenta, que conta com uma estrutura para receber turistas. 

São várias quedas d'água espetaculares e não é necessário pegar nenhuma trilha, já que o acesso pode ser feito pela Estrada Real e depois por uma estradinha que chega quase na cachoeira, acessível para ir de carro.

Outra cachoeira ali perto é a do Desterro. Para esta será necessário uma pequena caminhada depois que a estrada acabar, por uma pequena trilha. Vale muito a pena ir: a visão da queda d 'água enche os olhos! 

Por ter alguns trechos de trilha com desníveis, é necessário ter atenção a onde pisa para não sofrer acidentes como torções. Mas a vista é espetacular e a paz que a região traz compensa o pequeno esforço!


Cachoeira em Cunha

Já pensou em aprender a trabalhar com cogumelos em um sítio paradisíaco? Se você quer viver essa experiência, clique aqui! Veja também outras opções de voluntariado em Cunha.

Paraty

Minha última parada da viagem pela Estrada Real, agora no Rio de Janeiro, foi Paraty, encerrando a minha jornada como voluntária com a WorldPackers.

A cidade possui um centro histórico encantador, com um chão de pedras arredondadas que é de uma beleza única, mas requer cuidado. Por lá eu passeava a passos lentos, contemplando cada esquina e cada cantinho.


Rua de Paraty iluminada ao cair da noite

Sempre que chego a um novo lugar da Estrada Real eu já passo para carimbar o passaporte e lá foi no CIT (Centro de Informações ao Turista), que fica na frente da Praça do Chafariz do lado direito de quem vai para o centro histórico.

Paraty é um lugar com muitas possibilidades de turismo. Além do turismo religioso que já é marca registrada do Caminho Velho, a cidade tem ilhas e praias paradisíacas que convidam para um passeio. Do píer saem passeios diários, com duração de mais ou menos cinco horas e várias opções de preços e atrações.

Perto do centro histórico fica o Forte Defensor Perpétuo, que era meu passeio quase que diário. Algumas vezes eu ia e sentava na pedra só para ver o mar, e em outras eu descia a trilha para tomar sol sentindo a brisa úmida das águas, mas a região é sinalizada para avisar sobre os riscos de entrar no mar por causa dos acidentes com ostras.


Forte Defensor Perpétuo em Paraty, no final da Estrada Real

A noite em Paraty é um convite para sair dos hotéis e curtir. São várias as opções na cidade, desde comer num dos excelentes restaurantes a beber um chopp enquanto escuta jazz num quiosque à beira mar na praia do Jabaquara. A cachaça Gabriela está presente em vários bares da região.

Partindo da rodoviária tem vários ônibus que levam para outras praias mais agradáveis para o banho. A praia de Trindade é uma das mais procuradas e belíssima, e também vale a pena conhecer Paraty-Mirim, menos procurada por turistas.

Vale muito a pena fazer voluntariado em Paraty: são mais de 20 vagas na cidade pela Worldpackers! Olha só alguns lugares massa onde você pode voluntariar:

Quer mais dicas do que fazer em Paraty, no fim do seu percurso pelo Caminho Velho da Estrada Real? Confira o vídeo abaixo:

Dicas finais sobre a Estrada Real

  • Em algumas regiões das cidades não tem sinal de internet, então tenha sempre um plano para quando o sinal for embora. Deixe os mapas salvos em seu celular para que possa se guiar. Eu estou sempre usando o Maps do Google.
  • Se for fazer voluntariado, avise ao anfitrião sobre onde o seu transporte irá te deixar na chegada à cidade. Ele poderá te orientar sobre rotas seguras e falar sobre as linhas de ônibus que atendem a região.
  • Pergunte sobre os aplicativos de transporte, pois nem todas as cidades têm os tradicionais de áreas mais urbanas. O ideal é fazer o download deles antes de viajar, pois o sinal pode ser insuficiente para baixar na própria cidade. Preste atenção em estabelecimentos com wi-fi liberado para clientes.
  • Poupe bateria do celular para quando chegar ao destino, desta forma você poderá pedir ajuda caso seja necessário. Alguns ônibus de viagem possuem tomadas que podem te salvar em caso de emergência.
  • Seja cordial e educado. Tem sempre alguém disposto a ajudar, e ser amistoso ajuda a não passar perrengues.

Gostou dessas dicas e também quer conhecer a Estrada Real MG com mais calma, voluntariando em algumas das principais cidades? Então crie um perfil gratuitamente na comunidade Worldpackers e comece a salvar suas vagas de voluntariado favoritas, seja em Minas Gerais ou outras partes do Brasil e do mundo.



Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor

Mais sobre esse tema