O que é Turismo de Base Comunitária e como viver essa experiência?

O Turismo de Base Comunitária traz muitas vantagens para os destinos e também para quem viaja. Entenda os diferenciais desse tipo de turismo e saiba como vivenciá-lo.

4min

turismo de base comunitária

Já ouviu falar em Turismo de Base Comunitária? Esse modelo alternativo ao turismo de massa tem ganhado força nos últimos anos. É um tipo de viagem consciente, que traz o turista para a realidade das famílias que vivem naquele lugar e prioriza a conservação da cultura e do ambiente natural, estimulando também o desenvolvimento econômico da comunidade.

E além de trazer benefícios para as pessoas que vivem no destino, o TBC proporciona o experiências marcantes para o turista que deseja vivenciar a fundo a cultura do local para onde viaja. Neste artigo, vamos falar um pouco sobre o que é Turismo de Base Comunitária ou Turismo Comunitário e como vivenciá-lo no Brasil.

O que é Turismo de Base Comunitária

De acordo com o artigo Turismo de base comunitária no Brasil: uma práxis educativa decolonial e transmoderna, "O turismo de base comunitária (TBC), ou turismo comunitário, consiste em uma forma de organização social voltada para uma prática turística em escala local que é construída e administrada pela própria comunidade. Dessa forma, são os atores comunitários que definem quais, quando, como e para quem os bens e serviços turísticos serão ofertados".

Ou seja: trata-se de um tipo de turismo responsável gerenciado pela própria comunidade. Ele acontece priorizando o uso dos recursos naturais, sociais e econômicos de forma sustentável e inclusiva. 

O que difere o Turismo Comunitário do turismo tradicional?

A  principal diferença do TBC para o turismo tradicional é que nele o protagonismo é da comunidade. Pessoas nativas do local se envolvem em todos os setores, desde a tomada de decisões à atuação direta em atrativos, serviços de alimentação, hospedagem e fabricação de produtos. 

Dessa forma, a maior parte da renda gerada permanece na própria comunidade, que também tem autonomia para decidir como seu território será usado pelo turismo - o que não costuma acontecer no turismo de massa.

Além disso, enquanto o turismo tradicional costuma ser focado em pontos turísticos e fotos "perfeitas", o TBC proporciona uma conexão real com a história e a cultura do lugar, de forma responsável e sustentável. É, assim, um turismo mais consciente e coletivo.

O trabalho e a união da comunidade ajudam a preservar o local e contribuem financeiramente para o sustento das famílias que moram ali, e muitas vezes mesmo as famílias que não estão ligadas diretamente ao turismo são beneficiadas.

Turismo de Base Comunitária e sustentabilidade ambiental

Muitas das comunidades que promovem o Turismo Comunitário no Brasil estão localizadas em locais de grande interesse ambiental e com atrativos naturais bem procurados. 

Uma das premissas do TBC é que, mesmo recebendo visitantes, a comunidade seja guardiã do lugar. A ideia é evitar a especulação imobiliária e o turismo predatório, planejando de forma responsável qual será o impacto da presença dos turistas. 

O respeito com o território e a preservação do meio ambiente são prioridades para essas comunidades. 

Leia também:



Preservação da cultura para as novas gerações

Além da sustentabilidade ambiental e dos aportes econômicos, o Turismo de Base Comunitária tem um importante papel de preservação da cultura das comunidades.

Vale destacar, por exemplo, seu papel fundamental na vida dos jovens. Devido à falta de oportunidades de trabalho, muitos jovens deixam suas comunidades de origem. Com o TBC, muitos deles são inseridos no gerenciamento do turismo, e assim despertam suas vocações, se desenvolvem profissionalmente e geram renda para si mesmos e suas famílias. 

Também é comum que o Turismo Comunitário ajude os moradores a valorizar mais ainda a cultura local, contribuindo assim para manter vivas as raízes culturais para as novas gerações. 

Ao mesmo tempo, quem visita o lugar pode ter acesso a visões de mundo diferentes das hegemônicas. Ao escolher participar de projetos com povos indígenas ou praticar afroturismo ou turismo afrocentrado, por exemplo, podemos escutar em primeira mão as vozes de comunidades marginalizadas.

Onde vivenciar o Turismo de Base Comunitária

É possível vivenciar o Turismo de Base Comunitária nos mais diversos destinos, como parques nacionais, quilombos, aldeias indígenas, comunidades ribeirinhas  e caiçaras, centros urbanos e favelas. Existem hoje várias agências e coletivos que promovem roteiros de TBC Brasil afora.

Durante uma vivência de Turismo Comunitário você pode, por exemplo, visitar cavernas, participar de danças culturais, vivenciar o dia a dia numa aldeia indígena, comer pratos típicos de uma comunidade quilombola, participar de rodas de conversa com comunidades ribeirinhas, conhecer fazendas de orgânicos, aprender a construir casas com bioconstrução e muito mais.

Assim, o TBC nos motiva a descobrir mais sobre a história dessas comunidades espalhadas pelo mundo e fazer um turismo mais consciente, transformador e enriquecedor para todos os envolvidos. 

Como voluntariar com comunidades tradicionais

Além de vivenciar experiências de Turismo de Base Comunitária por alguns dias, como turista, sabia que você pode fazer trabalho voluntário em comunidades Brasil afora e ter um impacto social positivo através do intercâmbio comunitário

Na Worldpackers, plataforma de troca de trabalho por hospedagem, existem várias oportunidades para quem busca viver uma experiência de viagem imersiva e contribuir com comunidades tradicionais.

Olha só algumas opções de vagas de voluntariado em comunidades pelo Brasil:

E aí, você já conhecia o Turismo de Base Comunitária? Viveu alguma experiência assim, ou ficou com vontade depois de ler este artigo? Conta aí nos comentários!



Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor



Mais sobre esse tema