Guia para curtir e se encantar por Natal, no Rio Grande do Norte

Natal é uma capital que, além de atrações culturais, oferece lindas belezas naturais. Confira o guia completo para curtir esse lindo pedacinho do Rio Grande do Norte.


F695d4617003e7d1bdea16b121f8f968

Amanda Teló

Nov 04, 2019

Filmmaker, viajante e viciada em novidades. A vida só vale a pena quando compartilhada ♥

Guia completo do Rio Grande do Norte

Natal, a capital do estado do Rio Grande do Norte, fica localizada no topo do Brasil, perto da linha do equador. A segunda capital com menor área territorial do Brasil é cheia de grandiosidades e particularidades, entre seus encantos existem praias, lagoas, dunas, passeios de buggy, piscinas naturais, golfinhos e muita história.

Natal também é muita próxima de muitas outras cidades, então é um incrível ponto de partida para conhecer João Pessoa (184 km), Recife (302 km). Fortaleza (552 km), Maceió (552 km).

Nesse guia, vou te ajudar a curtir a cidade da melhor forma com dicas de como chegar, o que fazer, onde comer e hospedagem! Vamos lá?

Confira todas as dicas para conhecer Natal, no Rio Grande do Norte:

1. Como chegar até Natal

É possível chegar a Natal por vários meios, desde carro, ônibus e avião. Para quem está em cidades mais próximas, carro é uma boa pedida, mas vale calcular a rota, porque se você estiver em São Paulo, por exemplo, a viagem pode levar mais de 40 horas pela BR-101.

Já de ônibus, existem várias empresas que fazem linhas para Natal saindo das capitais. Com essa opção você chega na Rodoviária de Natal, que é localizada na área central da cidade, bem próxima dos principais bairros.

Para quem escolher ir de avião é melhor se preparar: como algumas outras cidades, o aeroporto de Natal fica em uma cidade vizinha. O aeroporto Augusto Severo fica em Parnamirim, região metropolitana de Natal, e é um aeroporto com uma ótima estrutura e, apesar de ser em outra cidade, não é absurdamente distante do centro de Natal.

De táxi, uber ou 99 pop, você pode chegar ao Centro de Turismo em menos de 40 minutos, mas esse trecho pode sair caro, no UberX, por exemplo, o preço médio é de 50 reais. Já de ônibus, esse mesmo trajeto pode levar quase três horas (pegando duas linhas de ônibus) e valor da passagem no ônibus é de 4 reais.

2. Onde se hospedar 

Chegando em Natal é possível encontrar diversos lugares para se hospedar. A Via Costeira é famosa por se localizar entre o Parque das Dunas e o Mar, foi ali que o turismo de Natal se iniciou. Apesar de existirem 10 hotéis de resorts nessa localidade, é uma área distante do agito da cidade e perigosa para entrar no mar. Então, seria recomendado para quem quer aproveitar a vista e prefere ficar na comodidade do hotel.

Um dos pontos mais populares para se hospedar é a Ponta Negra, região cheia de hotéis. A área mais distante do mar oferece hotéis mais novos e é voltada para um público mais executivo, já a parte perto da praia é a região tomada por turistas.

É uma boa pedida para quem vai sem carro, já que fica perto de muitos pontos de visitação. Tem mais hotéis do que casas e os restaurantes não são frequentados por natalenses. Com essa região é preciso ter mais atenção durante a noite, já que as ruas são escuras e não é muito recomendo sair sozinho por causa da falta de segurança. Em compensação, durante o dia você fica cercado de praias perfeitas para nadar e frequentar, já que todas na proximidades são recomendadas para banho.

Os preços variam de acordo com a localização e tipo de hospedagem. Por exemplo, você consegue encontrar um quarto compartilhado em hostel na região da Ponta Negra por 30 reais a noite, assim como existem hospedagens na beira mar que podem chegar a 1050 o valor da diária individual.

Para quem prefere uma experiência mais local, a Orla Central é a escolha certa. Pela proximidade dos bairros de Petrópolis e Tirol, nessa região você encontra restaurantes frequentados por locais e ainda fica muito próximo das praias do litoral norte e da ponte Newton Navarro.

Uma boa oportunidade para economizar com hospedagem e ainda ter esse contato maior com a cultura local é fazer voluntariado em Natal. A Worldpackers conecta viajantes e anfitriões dispostos a trocar algumas horas de trabalho voluntário por acomodação gratuita. Confira algumas oportunidades bem legais por lá:


Voluntária em hostel

3. E como a gente anda por Natal?

Apesar de Natal não ser uma cidade com uma extensão territorial grande, andar por ela sem um carro pode demorar bastante e apresentar certos desafios.

Com um carro você se locomove de maneira mais barata e fácil pela cidade, seja alugando, tendo seu próprio ou usando aplicativos. As ruas são muito bem sinalizadas e os hotéis possuem estacionamentos. Com a entrada de diversos aplicativos como Uber e 99pop, os preços de transporte ficaram mais baratos e competitivos.

Quando você se desloca dentro da cidade de Natal os preços são muito atrativos, sendo o preço médio de uma corrida algo em torno de 10 a 20 reais. Os táxis como de costume possuem preços mais elevados, mas não deixam de ser opções, já que estão sempre a disposição em pontos de táxis e aplicativos.

As linhas de ônibus em Natal cobrem a cidade toda pelo valor de 4 reais. Apesar disso, é cansativo andar de ônibus pela cidade, alguns trechos que de carro levariam 40 minutos, de ônibus podem chegar até três horas, pelas grandes voltas que as linhas dão. Também são muito quentes e lotados. São boas opções para economizar, mas não para ter conforto.

Pedalar por Natal também é uma opção, apesar de não ser muito atrativa. A cidade não é muito equipada para isso, já que existem algumas poucas ciclovias, e a maioria delas são compartilhadas com ônibus. Boa parte das ciclovias também não são ligadas entre si, o que torna muito difícil usar a bicicleta para se locomover diariamente com segurança.

É bem comum em Natal as agências oferecerem vans que te levam para passeios pela cidade. Eu não recomendo muito, pois é aquilo dos minutos cronometrados para cada ponto e ainda você tem que pagar a entrada dos passeios, já que isso não é incluso no valor. A única vez que vale mesmo pagar por um serviço desse tipo é para conhecer o litoral norte de buggy, já que esse passeio dura o dia todo e não é possível subir as dunas com seu próprio carro ou outros transportes.

4. Onde comer 

Como boa cidade do Nordeste, Natal é cheio de comidas típicas que se destacam por serem baseados em ingredientes da região. Alguns dos pratos mais típicos dessa região são o Mangai, a Paçoca de Pilão, o camarão, as castanhas, carne de sol à Moda Potiguar, Feijão Verde a ncora Caipira e a Ginga com Tapioca.

Nessas comidas típicas se destacam o camarão, já que o estado do Rio Grande do Norte é o segundo maior produtor de camarão no país, e a Ginga de Tapioca, que é praticamente o arroz e feijão do natalense, feita de peixes pequenos e servida na tapioca.

Para encontrar bons restaurantes que servem esses pratos você pode ir até a região da Ponta Negra, que é a região de turistas, e Petrópolis, que é um bairro super típico e a região mais antiga da cidade. Para comer alguns pratos bem típicos feitos a moda natalense, é bem indicado conhecer os bares do Mercado Público de Redinha, a 8 km do Centro de Natal.

Se você tem uma dieta mais restrita e não quer gastar muito, o Flor de Sálvia é uma ótima opção. No cardápio vem os detalhes da composição das refeições, que vêm em pratos muito bem servidos feitos com ingredientes locais.

Um dos restaurantes mais populares de Natal é o Tábua de Carne. Ele é considerado um ponto turístico gastronômico e possui uma decoração típica e pratos tradicionais.

De frente ao mar e pertinho do letreiro de Natal, o Mango Restaurante é uma boa opção de comida mais barata (comparada com os outros lugares na Orla) e muito bem feita. A simpatia dos garçons é bem grande e ele fica localizado perto do Morro do Careca.

Com pratos executivos a partir de 15 reais, outro point de frente pro mar é o Astral Sucos. Também localizado na Ponta Negra, esse restaurante, além de pratos executivos, oferece sucos, lanches, massas e açaí.

5. O que fazer em Natal

Natal é cheio de paisagens naturais e pontos turísticos históricos. Por ser uma cidade com pouco território, muitos dos pontos turísticos se encontram em cidades vizinhas, que são conhecidos como litoral norte e sul.

Um bom jeito de montar o roteiro é ir do litoral sul para o norte, sendo que o Litoral sul é onde ficam as praias paradisíacas, como a praia de Pipa, a praia dos golfinhos e o maior cajueiro do mundo, e o litoral norte é onde a aventura acontece. Já os pontos mais históricos ficam na própria Natal.

  • Praia de Pipa: parada obrigatória para quem gosta de praia. Ela é uma das mais famosas do estado e é muito popular entre turistas, pescadores e surfistas do Brasil e do mundo. Quando a alta temporada chega, existem festas na área todos os dias, e essa praia também é famosa por ter um carnaval e réveillon muito movimentados.

Praia de Pipa
  • Baía dos golfinhos: é o nome popular da Praia do Curral, lá é possível observar os golfinhos em seu habitat natural fazendo saltos e acrobacias.
  • Maior Cajueiro do mundo: é também na região sul que existe o maior cajueiro do mundo. Os galhos dessa árvore ocupam todo um quarteirão, já que a árvore possui dez mil metros quadrados de copa. Ainda é possível subir em um mirante e ver a copa da árvore e o oceano de cima. Ao redor da árvore também tem algumas barraquinhos com feirinhas de artesanato e comidas típicas, vale a visita.
  • Relógio de Sol: é um instrumento que mede a passagem do tempo pela observação da posição do So. Em Natal existe um que fica localizado na Areia Preta. Por ser algo histórico, é muito interessante de ver, mas não tem muito o que se fazer em redor.
  • Ponta Negra: é um bairro na zona sul e a praia de lá é como se fosse uma Copacabana. É uma área super turística, com restaurantes e diversão ao redor. A Praia da Ponta é muito agradável, a água não é a mais tranquila, mas também não é super agitada. É uma região lotada de turistas.
  • Morro do Careca: é o cartão postal de Natal. A duna tem um total de 107 metros de altura, mas, infelizmente, na década de 90, devido a degradação, a prefeitura de Natal vetou o acesso ao Morro.
  • Letreiro de Natal: em Natal existem cinco letreiros turísticos com o "I ❤ Natal", um no bairro Mirassol, um em Capim Macio e três estão localizados nas praias de Ponta Negra, Redinha e Areia Preta.
  • Centro de Lançamento da Barreira do Inferno: Natal recebeu a construção da primeira base aérea da América do Sul, o centro para lançamento de foguetes. Lá é possível visitar protótipos e conhecer mais sobre a Aeronáutica brasileira.
  • Centro de turismo: é um dos maiores centros de artesanato do Rio Grande do Norte. No primeiro andar acontece a feirinha de artesanato e no segundo acontecem exposições de artes e outros tipos de artesanatos natalenses.
  • Forte dos Reis Magos: um lugar que exala história, foi lá o ponto inicial de Natal. Nos tempos do Brasil Colônia cada território descoberto ganhava uma fortificação, então esse forte começou a ser construído em 1598. Ele é aberto para visitação e, além da história, você tem uma linda vista do mar e do pôr do sol.

Canhões do Forte dos Reis Magos
  • Teatro Alberto Maranhão: uma bela construção em Art Nouveau, o teatro Alberto Maranhão é o principal teatro da cidade.
  • Museu da Cultura Popular: um museu perfeito para conhecer a herança popular do Nordeste brasileiro.
  • Parque Dom Nivaldo Monte: é um parque completo. Tem museu, preservação das dunas, um monumento e mirante construído pelo Oscar Niemeyer, local para caminhar, praticar esportes e tudo é gratuíto.
  • Mahalila Café e Livros: se você ama livros, café e cerveja, essa é uma pedida obrigatória em Natal. É um lugar que mistura bar com sebo de livros em um ambiente super agradável e preços justos.
  • Taverna Pub: é um local bem turístico que se destaca por ter uma entrada super chamativa: um castelo medieval. Toda sua estrutura e decoração acompanham esse ar medieval, com direito a drinks especiais e um atendimento personalizado. É um bar de rock e exclusivamente frequentado por turistas, já que fica na área turística da cidade, a Ponta Negra.
  • Bar do Val: se você busca um lugar cheio de natalenses, com direito a forró e futebol, então o bar do Val é o local certo. É um lugar muito barato e com um cardápio cheio de comidas típicas e cervejas.
  • Praça do Gringos: para agitação a céu aberto, a praça dos gringos é o local certo. Também fica na Ponta Negra e o movimento lá começa depois da meia noite e vai até nascer o sol. Ela é conhecida por ser ponto de encontro dos jovens e turistas, já que começou a se formar em volta do antigo Gringos Bar, um bar de rock da região.
  • Ponte Newton Navarro: a caminho do litoral norte você atravessa uma das construções mais belas do Rio Grande do Norte, a Ponte Newton Navarro.
  • Ganipabu: é um point que fica no município de Extremoz. Ele é um dos destinos turísticos mais procurados no Rio Grande do Norte e está a 25 km de Natal. O destaque dessa região são as dunas Genipabu, com areias branquinhas e mar quente. É o passeio que vale alugar um buggy e explorar as dunas, custa cerca de 100 reais por pessoa. São duas opções de passeio: com ou sem emoção, escolha sempre com emoção (nessa o buggy até anda de lado)!
  • Piscinas Naturais de Perobas: águas quentes e cristalinas como as do Caribe, isso é o que você encontra no distrito de Touros, cerca de 70 km de Natal.

6. Quando é a melhor época do ano para visitar Natal?

Todo dia é dia de conhecer Natal, já que lá o clima se mantém quente e estável quase todo ano.

Os meses de chuvas se concentram em abril a julho, então nessa época alguns passeios podem ficar mais complicados de serem feitos, como andar de buggy nas dunas.

Se você busca uma Natal mais barata e vazia, a baixa temporada é perfeita. O sol continua brilhando, mas os preços de passeios e hospedagens ficam relativamentes mais baixos em março e de agosto a novembro.

Já se você busca agitação e tudo que Natal tem a oferecer, no final de novembro já se inicia o Carnatal, que dura até o início de dezembro, e agita a cidade no começo da alta temporada.

Natal é aquela cidade cheia de belezas naturais, história e muitas comidas típicas. É um lugar que vale a visita e você ainda pode aproveitar para viajar para cidades próximas, pois fica perto de grandes destinos como João Pessoa, Recife e Fortaleza.

Com o sol brilhando 300 dias por ano, viajar para Natal é sem dúvidas algo inesquecível. Além de poder conhecer as belezas naturais natalenses, você pode fazer essa viagem e economizar se hospedando em troca de trabalho usando a Worldpacker.  


F695d4617003e7d1bdea16b121f8f968

Amanda Teló

Nov 04, 2019

Filmmaker, viajante e viciada em novidades. A vida só vale a pena quando compartilhada ♥


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor