Dicas do que fazer em Barreirinhas, o portal dos Lençóis Maranhenses

Vou te contar como que três semanas em Barreirinhas, Maranhão, se tornou dois meses de muito banho de rio, um voluntariado maravilhoso, amizades únicas e meu ponto de apoio para conhecer as redondezas.


848353533c0200bbacac03da494402f3

ANA PAULA

Sonhadora e viajante! Descobri como um sonho pôde transformar a minha vida e me presentear com um...

+ Ver mais

Out 14, 2018

Cidade de Barreirinhas

O primeiro contato com a cidade é um choque, principalmente aos desavisados (como eu) que acham que ali é onde realmente se encontra os Lençóis Maranhenses.

A aproximadamente 255 km de distância de São Luiz, em uma viagem de quatro horas de ônibus você chegará a Barreirinhas, cidade considerada o portal dos Lençóis Maranhenses. Uma cidade movimentada pelo turismo e tem a sua alta temporada entre os meses de maio a setembro, época em que as lagoas estão cheias e a cidade movimentada pelo vai e vem de pessoas em busca das belezas naturais do local.

Bem, como a minha proposta ali era vivenciar a cidade e conhecer os Lençóis Maranhenses, fui logo procurar o que a cidade tinha a oferecer de natureza (já que para chegar aos Lençóis eu teria de pegar um 4X4, não rola de ir a pé, ok) e me deparei com um rio todo para mim, rio Preguiças. 

Com 120 km de extensão você já pode até imaginar o quão diversificado ele é. Na cidade você encontra várias entradas para poder tomar seu banho de rio livremente, mas eu encontrei um lugar único e particular chamado Centro Cultural Baial Ramos. Mas como assim, centro cultural, rio, oi? Sim, o local é um acervo com biblioteca, labirinto poético, poesias escritas sobre pedras e espalhadas sobre o chão e muros e lá no fundo, escondidinha, uma pequena faixa de areia que dá acesso ao rio, onde pude me refrescar nas tardes tórridas do Maranhão (já fui em outras cidades do nordeste, mas o Maranhão supera).


Rio Preguiças, Barreirinhas. 

O voluntariado

Trabalhar como voluntariada ali foi na verdade um aprendizado. Fiquei na Casa do Professor Hostel, um lugar agradável, acolhedor, com um dog maneiro (vagalume) e o Rodolfo (proprietário), uma pessoa linda e alto astral que me acolheu tão bem durante toda a minha estadia por ali.

O hostel oferece infraestrutura para todos os tipos de viajantes, sejam eles mochileiros, turistas, andarilhos e principalmente estrangeiros (a comunicação em outros idiomas é um diferencial do lugar). Tem várias regrinhas espalhadas pelo hostel e se você tem respeito pelo lugar com certeza será bem recebido e respeitado também. Aqui tive a oportunidade de fazer grandes amizades que levarei para a vida e de aprender como é o funcionamento de um hostel.

Se você está pensando em viajar sozinho pelo Brasil, se liga nessas dicas para você se liga que o Cadu deu:

O que fazer em Barreirinhas

Se você não quiser se limitar a ficar somente a Barreirinhas, lá vem a melhor opção de todas, Atins. É uma vila de pescador, pacata, com pouca infraestrutura e de beleza natural imensurável. Parece que você parou no tempo e tudo ficou para trás. O que movimenta a vila, além de toda a beleza natural, é a prática do kitesurf, que começa com a chegada do verão

Aproveite a calmaria e tome um bom banho de mar sem aquele vai e vem de pessoas (cheguei a ficar por quase uma hora sem ver uma só pessoa). Aproveite também para ver igarapés, ir a lagoas que parecem não ter fim de tão grande que são ou um mergulho no rio, que, além do uso para banho, também é um dos principais acessos até Atins (1h10min de barco) ou você pode optar por um 4X4 (2h).

Se você for aquela pessoa aventureira, você sabia que rola de fazer um trekking dentro dos Lençóis Maranhenses? A travessia, como os guias chamam (que também começa por Atins), pode ser feita em 3, 4 ou 5 dias, depende dos lugares que você quer conhecer e do preparo físico. Caminhar sobre as dunas não é tão fácil e confortável, mas com certeza é recompensador quando você se deparar com aqueles oásis a sua frente, um lugar paradisíaco e praticamente deserto devido ao acesso limitado, então, se tiver a oportunidade faça, tenho certeza que será uma experiência única na sua vida.


Lençóis Maranhenses, Parque Nacional da região de Barreirinhas

Agora se você quer movimento de pessoas, agitação, festa, tradição, tudo isso junto, misturado e mais um pouco, vá para a capital São Luís no final do mês de junho e se permita conhecer a festa do Bumba Meu Boi, uma festa marcante na cultura maranhense em que as pessoas vão para a rua ver os bois passarem ao som de Matraca ou orquestra. Eu nunca tinha visto nada igual na minha vida (confesso que valeu a experiência) e recomendo a quem nunca foi a ir e sentir a energia.

Você deve estar aí se perguntando se em Barreirinhas não há festas, bares, onde comer ou um lugar para reunir e confraternizar com aquelas pessoas que fui conhecendo ao longo do dia nos passeios. Existe sim, claro que não é lá a de uma capital, mas tem opções que vão desde um happy hour pela orla Beira Rio (rua com variados restaurantes), bar e restaurante regado a música ao vivo com cerveja artesanal ou até mesmo um batidão para aqueles que gostam de dançar sem ter hora para acabar.

Ao gosto do cliente, dá para aproveitar um pouco de cada lugar e voltar sabendo que Barreirinhas é uma cidade peculiar e cheia de encantos.



848353533c0200bbacac03da494402f3

ANA PAULA

Sonhadora e viajante! Descobri como um sonho pôde transformar a minha vida e me presentear com um...

+ Ver mais

Out 14, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar ANA PAULA saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor