Categorias

Uma experiência 100% tradicional nas montanhas do Peru

Meu nome é Vinicius, tenho 25 anos e este ano iniciei um mochilão de seis meses pela América do Sul. Aos dois meses de viagem, tive a sorte de me deparar com Willka Lodge Homestay.


65f962b03f5a10b081df9ac221a31886

Vinicius

Nascido e criado na cidade de Campinas, Sao Paulo, sempre se fascinou por colecionar coisas, até ...

Ago 15, 2018

experiência tradicional no Peru

Foi minha terceira experiência de voluntariado e onde aprendi muito sobre como é a vida típica tradicional na cidade de Huaraz, no Peru! Vou te contar mais como foram minhas duas semanas lá.

1. Sobre o anfitrião

Willka Lodge Homestay mais se parece como a casa de uma típica de família peruana, que abriu suas portas para hóspedes e voluntários, do que um típico hostel que você provavelmente tem em mente.

Lá vivem Aurélia, a matriarca da família, que se encarrega de fazer as refeições para todos. Pompeio, o patriarca que normalmente também ajuda os voluntários durante certos trabalhos, como nas colheita de batatas. Cristiano, filho do casal, cuja profissão é o xamanismo e realiza rituais com cactus San Pedro. Finalmente Nelson, também filho de Aurélia e Pompeio, é aquele que se encarrega dos voluntários, fazendo com que nós sentíssemos como é estar realmente inserido numa família típica peruana.

A maioria dos hóspedes que não eram voluntários procuram a hospedagem com o intuito de realizar as cerimônias espirituais com cactus de San Pedro, planta medicinal utilizada a milênios pelos povos andinos.

Dentro da propriedade havia plantações de milho e muitos animais são criados lá (haviam cachorros, gatos, lhamas, porquinhos-da-índia, galinhas, etc).

Lá a vida é simples, o que se planta compõe a base da alimentação, o que é necessário construir é feito com as próprias mãos. Usam muitas ervas e plantas como remédio e a família pode te ensinar muito sobre a arte das plantas.

Além do espanhol, todos os membros da família falavam o Quechua, língua típica proveniente das antigas civilizações andinas. Os membros da família estão sempre dispostos a te ensinar algumas palavras se você tiver vontade de aprender.

2. Funções e horários

Os trabalhos dos voluntários podem variar um pouco, iam desde ajudar a colher batatas no campo da família, colher alimento para os animais, até ajudar a construir ou pintar novos alojamentos que estão sendo construídos para abrigar hóspedes.

Eu trabalhava cerca de quatro a cinco horas por dia, sempre durante as manhãs, com dois dias livres. Nelson sempre nos deixava com os dias e horários flexíveis, o que ajudava a conhecer a natureza e os lindos lugares que Huaraz tem a oferecer.

voluntários trabalhando

3. Benefícios

Pelo trabalho realizado os voluntários ganham, além de uma cama em quarto compartilhado, três refeições diárias que eram preparadas pela Aurélia, a matriarca da casa e também muito boa cozinheira. Porém, eram cobrados 15 soles diários dos voluntários, para pagar as despesas da comida.

4. Comodidades e localização

A casa da família era bem simples, porém confortável, havendo eletricidade e água quente, mas não havia Wi-Fi. Poucos pessoas se hospedavam ali ao mesmo tempo e as refeições eram preparadas pela senhora Aurélia para todos.

A cama era confortável e havia cobertores suficientes para todos, o que significa muitos cobertores porque Huaraz é um lugar que faz frio devido a altitude (3300 msnm), principalmente ali em cima nas montanhas.

O hostel fica no meio das montanhas que cercam Huaraz, longe do centro comercial. Para chegar lá do centro tem que pegar um taxi (cerca de 20 novos soles), porém também há os chamados coletivos, que cobram 1,50 soles, tanto para subir quanto para descer a montanha até o centro.

A hospedagem fica muito perto das ruínas de Wilcahuain, construídas pela antiga civilização Wari. Ao seu redor, espere encontrar muita natureza, rios, e pessoas arrebanhando seus burros, vacas e ovelhas. Não há restaurantes perto, nem lavanderias ou farmácias, porém há vários pequenos mercados (bodegas) onde se encontra, por exemplo, itens de higiene pessoal e comidas, como algumas frutas e bebidas, e outras comidas industrializadas como chocolates e bolachas. 

5. Tempo livre

Huaraz é uma cidade famosa por seus trekkings e lugares maravilhosos aos olhos dos amantes da natureza. Nestas duas semanas que passei lá, tive tempo de fazer quase todos os passeios mais famosos, incluindo Laguna 69, Laguna Chorupi, Laguna Ahuac, Nevado Pastoruri e Havin de Huantar. Ainda existiam muitas outras opções como Laguna Paron, Santa Cruz, Huayhuash, etc.

Dentro do Willka Lodge, durante a noite a família e demais hóspedes se reuniam para conversar e trocar experiências, nas noites de muito frio se acendia uma fogueira!

Em dia de comemorações, como foi o caso do Dia das Mães, demais membros da família se reúnem na hospedagem para comemorar, fazendo quitutes como a típica Pachamanca (churrasco de carne e vegetais feitos a base do contato com pedra quente). 

trekking nas montanhas

6. Dicas para se dar bem

Tenha em mente que lá você não terá os mesmos confortos que você teria em um típico hostel no centro de Huaraz. Saiba que o trabalho em sua maioria é braçal, porém eles estão cientes das limitações de cada um e não impõe mínimos de produtividade, só esperam que você faça seu melhor.

É um lugar bem tranquilo e cuja filosofia é ajudar o próximo. Se aprender mais sobre os costumes e vida típica no Peru é o que você deseja, você não irá se decepcionar. Não é necessário falar inglês, porém um conhecimento básico de espanhol é essencial, pois é a única língua falada pela maioria dos integrantes da família, o que é ótimo para quem quer treinar o idioma. No meu tempo lá, falei apenas em espanhol!



65f962b03f5a10b081df9ac221a31886

Vinicius

Nascido e criado na cidade de Campinas, Sao Paulo, sempre se fascinou por colecionar coisas, até ...

Ago 15, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar ViniciusRamos saber :-)


Comentários