Morgana em Mer

1. Funções

O trabalho no Felicidade é bastante simples, eu trabalhava cinco horas por dia, cinco dias na semana, e as folgas eram geralmente nos dias de menos movimento, ou seja, durante os dias de semana.

Dependendo da função que exercia no dia, trabalhava as cinco horas direto de manhã ajudando no café da manhã, check out e housekeeping e tinha o resto do dia livre ou às vezes o turno era dividido entre três horas numa tarefa diurna e duas horas a noite no bar.

As principais funções eram ajudar a servir o café da manhã (não é preciso cozinhar nada, apenas ir à padaria para comprar pães e croissants), arrumar e limpar os quartos e banheiros, trabalhar no bar servindo bebidas e manter limpas e organizadas as áreas comuns.

2. Estrutura

Felicidade Hostel tem mais estilo de B&B do que um hostel voltado para backpackers. São cinco quartos privados com banheiro e um dormitório com 8 camas e um banheiro compartilhado.

A cozinha é grande e aconchegante e os hóspedes do dormitório tem acesso a ela. Há uma sala grande com lareira, TV, mesas de café da manhã e uma mesa de bilhar, um jardim e o bar que é pequeno e acolhedor. Eventualmente há eventos especiais no bar como karaokê ou jantares.

3. Relação com staff, hóspedes e anfitrião

Quando voluntariei no Felicidade havia um casal de Worldpackers brasileiros, mas talvez por ser um casal eles eram mais reservados e nossos turnos eram geralmente em diferentes funções e horários, também não fazíamos programas fora de lá pois nossas folgas eram em dias diferentes, mas às vezes fazíamos jantares e convidávamos alguns locais que eram nossos amigos.

Tivemos a sorte de receber uma chef brasileira por um tempo e ela preparava pratos deliciosos, com ela fiz alguns passeios pelos arredores, pois nessa época os horários eram bem flexíveis.

Os hóspedes são na maioria franceses de outras cidades, geralmente casais e famílias, também algumas famílias espanholas e alemãs.

Como meu francês é extremamente básico eu geralmente interagia mais com os hóspedes que falam inglês ou espanhol.

Alguns franceses se incomodavam um pouco com o fato de eu não ser fluente na língua local, enquanto outros admiravam minha vontade de aprender. Nunca houve nenhum problema com relação a hospedes, em geral são pessoas super de bem com a vida.

Além dos hóspedes, muitos locais frequentam o bar, pois há apenas dois bares na cidade e o Buddha Bar, no Felicidade Hostel, é um dos principais pontos de encontro. Uma ótima oportunidade para aprender e praticar o idioma francês.

Stephane é um anfitrião incrível, fala português fluentemente e ama o Brasil (músicas brasileiras estavam sempre tocando no bar). Apesar de estar presente apenas três dias na semana, pois ele trabalha quase a semana toda em Paris, quando está por perto é diversão garantida, além disso é uma pessoa sensível e extremamente generosa.

Estrutura do hostel

4. Benefícios

Além da hospedagem gratuita, que no meu caso era um quarto privado (apenas dividi por uma semana com outra Worldpacker), eu ganhava todas as refeições.

Cozinhavamos nossas refeições, mas tínhamos todos os ingredientes necessários pois Stephane fazia as compras uma vez por semana.

Trabalhando no bar não era raro que frequentadores locais sempre oferecessem uma bebida, então rolavam alguns drinques de graça também.

Há duas bicicletas disponíveis para os voluntários.

5. Comodidades

Mer é uma vila muito pequena, não tem muito o que fazer por lá, é mais um ponto estratégico para que os turistas visitem os castelos da região.

Há duas farmácias na mesma rua do hostel (que é a rua principal), um mercado a cinco minutos andando e um mercado imenso a uns 15 minutos andando.

A estação de trem fica há cinco minutos e de lá você pode pegar o trem para visitar cidades vizinhas ou ir a Paris.

Há apenas um restaurante na parte central e alguns fast foods. Para festas e baladas você precisa ir a Blois, Tours ou Orleans.

6. Tempo livre

Há muito o que fazer pelas redondezas. A região do Vale du Loire é repleta de castelos e cenários deslumbrantes, o famoso Chateau Chambord fica a sete minutos de carro ou 35 minutos de bicicleta, no verão e uma ótima pedida pedalar até lá.

A cidade de Blois fica a 15 minutos de trem e a cinco minutos está Beaugency, pequena e charmosa.

Outras opções são Amboise (onde está enterrado Leonardo da Vinci, o castelo e a última morada do artista), Tours e Orleans. Para as duas últimas sugiro tentar conciliar dois dias de folga juntos e passar dois dias e uma noite.

Como fiz alguns amigos na cidade as vezes eles faziam questão de me levar para passear e mostrar os pontos turísticos da região.

7. Idioma e cultura

Quando apliquei para a vaga, falar inglês fluente era um dos requisitos básicos. Pessoas francesas em geral tem muito orgulho da sua língua e podem ser muito insistentes para que você aprenda e fale, além do mais, fora de Paris pouquíssimos franceses falam inglês, sem o básico do idioma local a comunicação pode se tornar difícil e frustrante.

O interior da França é provavelmente a melhor opção para descobrir a cultura francesa. Há obviamente diferentes tradições em cada região do país, mas já é um ótimo começo.

Vinhos, queijos, o cuidado em estar sempre elegante, confraternizações na casa de amigos, ir à igreja no domingo (mesmo que não seja religioso) e depois passear na feirinha de domingo foram algumas ótimas experiências que tive por lá, sem falar na gastronomia francesa... provei tantas coisas novas e deliciosas que dá água na boca só de lembrar. Passei o Natal com uma família local e foi muito interessante ver as diferenças na celebração e ceia comparadas ao Brasil.

8. Dicas para se dar bem

Como mencionado anteriormente, aprender um pouco de francês vai te ajudar muito a ser escolhido e a ter uma experiência legal como Worldpacker no Felicidade. Falar inglês, pelo menos o básico, também é importante.

Um sorriso no rosto, simpatia e energia são indispensáveis. Tenha certeza de que você será muito reconhecido se for uma pessoa organizada e fizer seu trabalho direitinho.



61e4360684e15053bbcaf101a1b797b6

Morgana

Depois de anos em um emprego que me trazia dinheiro mas não felicidade, decidi deixar tudo pra tr...

+ Ver mais

Ago 22, 2018


Gostou? Não esqueça de deixar Morgana saber :-)


Deixe seu comentário aqui

Escreva aqui suas dúvidas e agradecimentos ao autor